• Fibra de Vidro

Fibra de Vidro

Por ser o vidro um material amorfo, rígido, de fraca resistência mecânica quando fundido, houve a necessidade de misturá-lo com óxidos, de maneira que a massa obtida quando o vidro era fundido, tivesse características físicas mais fortes.

Os óxidos inorgânicos são dosados um forno de abóboda onde a massa funde a ~1.500ºC formando uma massa  que é resfriada a 1200ºC e tende a escorrer por canais (“pentes”) da fieira constituída de platina, para suportar a corrosão do vidro, dando origem a filamentos (800 aproximadamente) de 10 microns de diâmetro, que são reunidos em um único fio o qual passa por um tratamento químico superficial, que tem por finalidade prover um lubrificante que impeça o desgaste dos fios pelo atrito e também incorporar ao vidro o agente de ligação com a resina, o silano, que é vaporizado na fibra, pois sem ele não teremos a impregnação da resina na fibra (união química).

Após união dos fios formando um cabo e após passados pela enroladeira, sofrem uma estufagem.

Variando os componentes minerais do vidro, diferentes tipos de fibras com composição química específica podem ser produzidas. Cada tipo tem associado propriedades e custos peculiares. Seguem os mais importantes:

Vidro-E (E-glass, electrical glass), Vidro-C (C-glass, chemical glass), Vidro-ECR (ECR-glass, eletrical corrosion glass), Vidro-AR (AR-glass, Alkali-resistent glass), Vidros de alto desempenho (R, S2, T e HPG).

Tipos de Produto:

- Manta para laminação
- Manta para processo de RTM
- Fio Roving
- Tecidos bidirecionais
- Tecidos combinados
- Tecido em fibra de vidro S-2
- Tecidos multiaxiais
- Tecidos combinados para pultrusão
- Véu de vidro


Diprofiber Comércio de Fibras de Vidro Ltda

Bruc Internet