Brasil utiliza painel sanduíche para construir nova base militar na Antártica

O Brasil começou o ano de 2020 com uma novidade: a inauguração da nova base militar na Antártica. O projeto, muito bem pensado e estruturado, envolve soluções rápidas, modernas e sustentáveis, incluindo a utilização de painéis sanduíche. 

Incêndio da Estação Comandante Ferraz

Desde 1984, o Brasil realiza pesquisas nas áreas de oceanografia, glaciologia, biologia, meteorologia e antropologia na Antártica. No entanto, em 2012, a sua base militar no continente gelado, a Estação Comandante Ferraz, foi atingida por um incêndio, que causou a perda de 70% das instalações. 

Depois do acidente, as pesquisas foram mantidas em edificações provisórias, acampamentos e também nos navios da Marinha, até que, no início do ano, as obras da nova base militar foram finalizadas e inauguradas. 

Utilização de painéis sanduíche na nova obra 

O novo espaço da Estação Comandante Ferraz possui uma área de 4.500 m², que se divide em 17 laboratórios, biblioteca, dormitórios para hospedar até 64 pessoas, entre outros ambientes. 

Apesar de grande, o projeto teve pouco tempo para sair do papel. Devidos às condições climáticas da região, toda a obra precisou ser executada em apenas 7 meses, entre outubro e abril – período do verão antártico. 


Para agilizar a construção, entregar a base militar dentro do prazo correto e garantir que a estrutura suportasse o frio extremo do continente mais gelado do mundo, os engenheiros utilizaram painéis sanduíche em toda a obra. Assim, eles encurtaram os processos inclusos na alvenaria tradicional e ofereceram uma estrutura com isolantes térmicos.  

Além disso, outro fator foi determinante para a decisão de utilizar painéis sanduíche na Estação Antártica Comandante Ferraz. Por serem entregues pré-montados no canteiro de obras, esse material ainda diminuiu o impacto ambiental que uma construção comum poderia trazer para a região onde a nova base militar foi instalada. 

Painéis sanduíche Diprofiber 

Os painéis sanduíche utilizados na construção da nova base militar foram produzidos por uma empresa chinesa, selecionada a partir de um processo de licitação. Todo o material entregue e utilizado para a obra são semelhantes ao CoreSkin®, uma linha industrial produzida pela Diprofiber, que também permite mais agilidade e facilidade na execução de projetos mais complexos. Conheça mais sobre os nossos produtos e a versatilidade que eles oferecem para as suas obras, entrando em contato conosco!