Cargas Minerais

Ao longo de muitos anos, as cargas minerais foram utilizadas em compósitos e classificadas como materiais cujo único objetivo era substituir um dos ingredientes básicos: a matriz polimérica. Isso acontecia por razões puramente econômicas. 

Atualmente, com o desenvolvimento tecnológico da indústria e de pesquisas em novas aplicações, as cargas minerais ganharam uma posição de maior importância como material complementar. A partir disso, passaram a atender mais do que o objetivo econômico, pois começaram a agregar melhorias nas características físicas e químicas dos produtos fabricados.

Os polímeros termofixos, quando puros, apresentam propriedades que muitas vezes não atendem as especificações técnicas que as peças finais, fabricadas a partir deles, devem possuir. A adição de cargas minerais aplicadas em quantidades adequadas, podem conferir algumas das características abaixo:  

⦁ Redução do pico exotérmico 
⦁ Redução do empenamento e contração da peça 
⦁ Aumento da dureza superficial 
⦁ Aumento das propriedades físico–mecânicas 
⦁ Aumento da estabilidade térmica 
⦁ Aumento da aderência ao substrato 
⦁ Aumento da viscosidade 
⦁ Melhora da resistência à abrasão 

Como exemplos de cargas minerais: carbonatos de cálcio, pó de mármore, talco mineral, feldspato, quartzo, argila, asbestos, caulim. O talco, carbonato de cálcio precipitado, argila, etc, por terem granulometria muito fina, são utilizados em pequenas quantidades para aumentar a viscosidade da resina. Já a alumina hidratada é utilizada para tornar a peça com retardante de chamas ou anti-chamas e autoextinguível.