Catalisadores

Os Catalisadores, também denominados Iniciadores de Polimerização são essenciais para o endurecimento de resinas de poliéster insaturado. Quando aplicado à resina, o poliéster se decompõe pela ação de agentes promotores, como sais de cobalto, amina ou pelo calor, gerando radicais livres que iniciam o processo de polimerização e endurecimento da resina.

Para atender vários tipos de processos de produção a quente e frio, como Hand Lay-up, Spray-up, Filament Winding, RTM, SMC, BMC, Pultrusão e outros, existe uma variedade de iniciadores disponíveis para garantir a melhor performance e qualidade da peça final.

A Diprofiber atua há mais de 20 anos no mercado de compósitos e disponibiliza uma linha completa de iniciadores para qualquer tipo de processo, com destaque para os que seguem abaixo:

 

Catalisadores – Tipos Disponibilizados

MEKP – Peróxido de Metil Etil Cetona – Incolor

MEKP – Peróxido de Metil Etil Cetona – Vermelho

AAP – Peróxido de Acetil Acetona

TBPB – Perbenzoato de Terc-Butila

CHP – Hidroperóxido de Cumeno

BPO – Peróxido de Benzoila

MCP – Peróxido de Metil Etil Cetona e Hidroperóxido de Cumeno

MIBK – Peróxido de Metil Isobutil Cetona

Os catalisadores utilizados são os peróxidos orgânicos. São substâncias químicas derivadas da água oxigenada, onde os hidrogênios presentes são substituídos por radicais orgânicos que podem ser hidrocarbonetos, radicais ácidos, etc., e recebem a denominação de acordo com a substituição, ou seja, se der em um hidrogênio o catalisador formado chama-se hidroperóxido , e se for nos dois hidrogênios, chama-se peróxido.
Sob ação do calor o catalisador se decompõe originando “radical livre”. Este “radical livre” irá se unir a insaturação liberando outro radical e assim sucessivamente acontecerão ligações até que não existam mais insaturações.
Desta maneira a velocidade de reação de polimerização aumenta com a adição de catalisadores, sendo muito mais rápida que o processo da atividade térmica.
Este método da utilização de calor e catalisador é característico de processos a quente, para processo a frio, ou sem influência direta de temperatura, temos que dispor de aceleradores ou promotores de cura.

Alguns tipos de catalisadores:
– Peróxido de metil etil cetona (MEKP): principal iniciador de polimerização, em temperatura ambiente de resinas de poliéster insaturado, podendo ser utilizado em diversos processos de produção.
– Peróxido de acetil cetona (AAP): é um eficiente iniciador da polimerização de resinas poliéster insaturadas e promove um rápido tempo de cura, sem afetar, no entanto, o tempo do gel. Devido à cura muito rápida que ele garante, a exotermia observada é, na maior parte dos casos, mais alta frente a sistemas de MEKP-Cobalto. Tal característica é essencialmente benéfica para peças transformadas pelo processo de RTM.
– Peróxido de dibenzoíla: utilizado na polimerização de resinas de poliéster insaturado e epóxi éster-vinílicas pré-aceleradas, na proporção de 1% a 3% da massa da resina. O promotor mais utilizado é o di-metil anilina (DMA). As principais características desse peróxido são a elevada resistência a flutuações de temperatura externa e o tempo de desmoldagem da peça relativamente curto. O transformador deve estar atento ao fato de que aceleradores de amina podem provocar uma espécie de descoloração amarelada na peça final.

Fornecimento:
A Diprofiber tem como parceira no fornecimento de peróxidos orgânicos a Nouryon, a qual é a maior fabricante brasileira de peróxidos e ceras desmoldantes.

Produtos:
– Brasnox DM50-E (peróxido de metil etil cetona)
– Brasnox DM50 (peróxido de metil etil cetona)
– Brasnox AAP PD 40 (peróxido de acetil acetona)
– Tecnox Super (peróxido de metil etil cetona)
– Perbenzox (peróxido de dibenzoíla)