Fibras de Carbono

As fibras de carbono são produzidas a partir de fibras precursoras e ricas em carbono, o poliacrilonitrila (PAN). Para a obtenção da fibra de carbono, os filamentos passam pelas seguintes transformações: 

⦁ Oxidação controlada (300ºC) 
⦁ Carbonização (1.300ºC a 1.800ºC) 
⦁ Grafitização (3.000ºC) em ambiente inerte

Normalmente agrupadas por faixas de módulo e resistência, é possível encontrar os seguintes grupos de fibras de carbono: alta resistência (High Strenght – HS), módulo intermediário (Intermediate Modulus – IM), alto módulo (High Modulus – HM) e módulo superior (Ultra High Modulus – UHM). Os filamentos, na maioria dos casos, apresentam diâmetros de 5µ e 7µ. Estas fibras exibem os maiores índices de rigidez entre todas as fibras disponíveis comercialmente, além de resistências muito altas no que se refere à tração, compressão, corrosão e fadiga. Porém, a sua resistência ao impacto é mais baixa que a proporcionada pelas fibras de vidro ou aramida, sendo bastante frágeis os tipos HM e UHM. 

Pelas altas propriedades mecânicas que proporcionam, aliadas à baixa densidade (peso específico 1,8g/cm³), estão sendo usadas principalmente em aplicações aeronáuticas e espaciais.