Materiais Compósitos

Os materiais compósitos formam um grupo especial de materiais compostos. São materiais estruturais obtidos a partir da união de dois ou mais materiais diferentes em suas propriedades físicas, ou seja, duas ou mais fases físicas distintas, visíveis macroscopicamente, em que pelo menos uma delas apresenta a característica filamentar, fibrosa ou particulada, dispersa e envolta em uma fase contínua denominada matriz (ligante). 

Suas propriedades mecânicas são superiores à de cada componente considerado isoladamente. Como exemplo de compósitos, temos a madeira, que é feita de fibras de celulose e hemicelulose envolvidas por uma resina natural denominada lignina. 

Outro exemplo, é o aço, resultante da mistura de ferro, carbono, dentre outros metais. E o concreto armado, em que suas propriedades conhecidas são decorrentes de cada componente: cimento, areia e brita, os quais elevam a resistência à compressão e intempéries, porém, conferem também baixa resistência à tração e flexão. Já o aço, quando incorporado ao concreto na forma de barras e treliças, promove a resistência necessária à tração e flexão, graças à absorção de cargas dinâmicas atuantes. 

Nossos produtos na sua maioria são empregados na composição de um material denominado compósito polimérico, mais popularmente conhecido no Brasil como Plástico Reforçado ou Compósito, e ao redor do mundo, como Composites ou mesmo Fiberglass.

MATERIAIS COMPÓSITOS POLIMÉRICOS 

Trata-se de materiais estruturais resultantes de polímeros termoplásticos (derretem quando aquecidos) ou termofixos (uma vez rígido, não pode ser moldado novamente) combinados a fibras de reforço, com destaque para as fibras de vidro, fibras de carbono e fibras de aramida. 

Pelo rápido desenvolvimento tecnológico e a necessidade de aliar alto desempenho à redução de peso, atualmente o plástico reforçado com fibra de vidro (PRFV) é o mais utilizado. Muitos projetos já contemplam a utilização deste tipo de material na fabricação de seus componentes. 

Dentre as vantagens destes materiais, destacam-se: altas propriedades mecânicas (tração, flexão e impacto), leveza, flexibilidade de projeto, alta rigidez dielétrica (não conduz corrente elétrica), resistência à corrosão, integração de peças (moldagem de peças complexas sem emendas ou fixadores), baixo custo de acabamento, moldes simples e baratos, baixo custo de manutenção. Os materiais compósitos substituem com vantagem em muitas aplicações o aço, a madeira e o alumínio.