Processos

Laminação Manual
Laminação manual é um processo que se baseia em utilizar alguns reforços de fibra (vidro, aramida ou carbono), sobre um molde e em seguida aplicar resina sobre eles. Com esforço manual, tentar espalhar a resina de modo invariável sobre as fibras e aguardar até a polimerização final da resina.

Laminação Contínua
Este processo é usado na produção de painéis contínuos, corrugados ou lisos, translúcidos ou opacos. O reforço é combinado com resina e prensado entre dois filmes plásticos.

Vácuo
O processo de moldagem a vácuo é usado para a fabricação de grandes peças de compósitos utilizando o molde e uma bolsa de vácuo para formar o componente. Uma membrana de silicone reutilizável também pode ser usada.

Infusão
A infusão é uma opção ecologicamente sustentável para processos com molde aberto. A infusão de resina faz peças consistentes e de alta qualidade. Usando também bolsas de vácuo ou membranas de silicone, estruturas grandes e complexas podem ser produzidas juntamente com a inserção de núcleos estruturais.

RTM
A Moldagem por Transferência de Resina (RTM) é um processo de molde fechado. Mantas especiais de reforço são colocadas e, posteriormente, conformadas por meio do fechamento de um contra-molde rígido. A partir desta etapa, uma resina é injetada para preencher todos os espaços vazios no laminado e também para aderir à superfície interna do revestimento em gel, geralmente aplicado apenas no lado “A” do molde.

Centrifugação
Nesta parte do processo se moldam as formas cilíndricas e ocas do material em um molde giratório. A Fibra de Vidro é cortada e depositada diretamente sobre as paredes internas do molde, juntamente com a resina, com cargas em camadas sucessivas, que alternam de acordo com a necessidade do projeto.

Pulverização
Spray-Up também conhecido como método chop de criação de placas por meio da fibra de vidro, pulverizando fios curtos de vidro com uma pistola pneumática. Este método é usado quando grandes quantidades de um produto devem ser produzidas. Os paralamas automotivos e botes salva-vidas para barcos são comumente fabricados desta maneira.

Prensagem a frio
A prensagem a frio é um processo que serve para o processamento de peças de superfície homogênea. Para que o processo ocorra com sucesso, são necessários apenas moldes em plástico com fibras de vidro e uma prensa hidráulica de baixa tonelagem. Embora seja denominado como prensagem a frio, as temperaturas são usualmente entre 40ºC e 50ºC. Isso acontece devido ao calor de reação do sistema de resina durante o período de cura.

Prensagem a quente
É utilizada para peças com acabamento de dois lados. O princípio do sistema consiste em fibras como vidro ou sisal, com resina catalisada para a cura a quente, prensadas a 50 – 70 psi com temperaturas entre 100ºC e 140ºC de 2 a 4 minutos. Paralama de motos e motos são peças comuns deste processo.

Pultrusão
É um processo utilizado na produção de perfis, hastes e bastões de alta resistência destinados a aplicações estruturais. As fibras de vidro são impregnadas e puxadas para dentro de um molde aquecido que cura e confere forma à peça.

Enrolamento
É um processo que consiste em um molde aberto automatizado que utiliza um mandril rotativo como molde. O filamento de “roving” é imerso em uma banheira com resina e puxado pela força rotacional do mandril. O enrolamento filamentar é utilizado na fabricação de produtos compósitos ocos, geralmente cilíndricos, de alta resistência, tais como postes, tubos e vasos de pressão.